quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Feliz

A todos os meus web leitores, o meu muito obrigado por nos acompanhar no ano de 2010 e espero estarmos juntos em 2011.
Que as bençãos de Deus esteja com todos vocês.

E a Paz do nossos Senhor e Salvador Jesus Cristo esteja com todos vós.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

ENTREGA DE CERTIFICADOS

Aconteceu na ultima quarta feira dia 22/12/2010, na Igreja Assembleia de Deus na cidade de São João do Sabugi-RN, culto de gratidão a Deus por mais uma turma que concluiu o discipulado, desta feita 20 novos irmãos receberam os seus certificados.
O Discupulado tem como objetivo orientar os novos convetidos, são 12 lições basicas, que visa fortalecer e esclarecer algumas duvidas no novo converso.
O Irmão José Walter que é o diretor do curso, estva feliz  por mais uma etapa cumpida e já planeja novas turmas para o ano 2011.

veja fotos.

 Pr. José Raimundo falando da importancia do discupulado

Aux.Damião Joatã (profesor do discpulado)

 Aux. José Walter (Diretor do discipulado)
 Luzia Marly ( Secretaria)
















Todos os concluintes do discipulado.

sábado, 18 de dezembro de 2010

BATISMO EM ÁGUAS

Conforme ja divulgado por este blog foi realizado neste sabado dia 18 de novembro  mais um batismo em águas na Assembleia de Deus na Cidade de São João do Sabugi-RN, desta feita 27 novos irmãos desceram as águas batismais, sendo 20 irmãos da A.D. São João do Sabugi e 7 da A.D. da Cidade de Ipueira.
Estiveram presentes representando o Pr. Jonas Antonio da cidade de Caicó que o supervisor do campo, o Pb. Joseilton, o Pb. Assis e sua esposa  e filho e o Pr. Miltom da cidade de São José do Serido, e muitos irmãos da igreja e familiares do batizandos.
Os celebrantes do batismo foram o Pr. José Raimundo da A.D. de São João do Sabugi e o Pr. Antonio Faustino da A. D. da cidade de Ipueira.

veja fotos do Batismo.
 Caminhando em direção ao local do batismo

Oração para iniciar o batismo




video

CASAMENTOS COLETIVO

Sexta feira movimentada na Assembleia de Deus na cidade de São João do Sabugi-RN, aconteceu casamentos coletivo, 06 casais receberam as bençãos matrimoniais.
A igreja que é liderada pelo Pr. José Raimundo, realizou desta feita mais seis casamentos, casamentos estes que foram adquiridos pelo Tabeliã Edineusa Maria de Araújo Figueredo.
Agradecemos a Drª Edineusa pelo esforço empreendido para adquirir os mesmo, rogamos ao Senhor que continue te abençoando e derramando sobre voce e a sua familia muitas bençãos.

veja fotos.
 Templo preparado para receber os casais
 Todos os casais dentro do Templo
 Celebrante Pr. José Raimundo
 Carlos e Lidiane
 Luciano e Viviane
 Josemberg e Dayanne
 Orlando e Fatima
 José da Silva e Graciete
Edimar e Joana D"arc

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

CASAMENTOS COLETIVO e BATISMO EM ÀGUAS

Acontecerá na proxima sexta feira dia 17 de Novembro  as 19:00 Horas no Templo Sede da Igreja Assembleia de Deus em São João do Sabugi - RN, mais um casamento coletivo, desta feita 06 casais receberão as bençãos do Matrimonio, casais que anteriormente viviam maritalmente e após aceitarem Jesus como Salvador sentem o desejo de se casar civilmente para  batisar-se nas águas cumprindo assim o que esta escrito em (Mc - 16-16 Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.)
E no sabado as 9:00  acontecerá o batismo, onde quase 3 dezenas de irmãos estarão descendo as águas.

FAMILIA NO ALTAR

Aconteceu no ultimo domingo dia 12 de Novembro a abertura do Culto denominado Familia no altar, na Igreja Assembleia de Deus em São João do Sabugi-RN, o objetivo é o fortalecimento das familias, onde tem sido o alvo de satanaz , Deus tenha misericordia de todos nós.
A igreja estava repleta de irmãos e felizes louvavam e exaltavam o nome de Jesus.

veja algumas fotos.

 Familia da Irmã Toinha ( Esta familia pertencia toda a um circo)
 Familia da Irma Luzia Medeiros ( Uma das maiores familia da Igreja)
 Pr. José Raimundo e Conceição ( Louvando ao Senhor)
Pr. José Raimundo e Conceição e o Diacono João Bezerra e a Irmã Raimunda ( Na direção do culto)

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Adoração a Jesus, o sentido do natal

.
 Pastor Martim Alves da Silva (Pr. da A.D. Mossoró)
   Artigo publicado em 06/12/2010 por Jornal a Voz    
        Qual o sentido do Natal? Por curiosidade, um pesquisador resolveu inquirir algumas pessoas a respeito. As respostas foram as mais diversas: os entrevistados se lembraram da troca de presentes, árvores iluminadas, papai Noel, mas esqueceram do principal: Jesus Cristo. Da perspectiva científica, é evidente que não podemos saber com precisão em que data Cristo nasceu. Mesmo assim, a igreja escolheu 25 de dezembro como dia provável para a celebração do nascimento de Jesus. Contraditoriamente, os estudos revelam que a pessoa menos lembrada no dia do nascimento é o próprio aniversariante.
    
        Segundo o relato evangélico, Jesus teve um nascimento histórico, nos dias em que César Augusto era o imperador de Roma, e Herodes, o governador da Judéia. Como seus pais não encontraram um lugar para se instalarem, nasceu numa estrebaria, em Belém, uma pequena cidade. Como naqueles dias, muitos rejeitam a Jesus. Mesmo no Natal, a correria frenética para a compra dos presentes, dos adornos da árvore natalina e a figura deslocada de Noel fazem com que Jesus passe desapercebido. Esse se torna um momento oportuno para, tal como fez Paulo em Atenas, ao se reportar ao Deus-Desconhecido (At 17), possamos apontar para o genuíno sentido do Natal.

        Há  mais de dois mil anos, em tal ocasião, declararam os anjos: “Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lc 2.10,11). Mateus registra que os magos do Oriente viram uma estrela cintilar e que essa os guiava até onde estaria o menino. O evangelista narra: “e, vendo eles a estrela, regozijaram-se muito com grande alegria” (Mt. 2.10). Esse é o resultado do Natal, a alegria que somente pode ser experimentada mediante a percepção de Jesus, Salvador, Cristo e Senhor. Por isso bradaram os anjos em vozes altissonantes: “Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens (Lc. 2.14).

        A atitude dos magos do Oriente é um exemplo a ser seguido por todos aqueles que querem vivenciar o verdadeiro sentido do Natal. Eles persistiram até chegar a Belém, com o intuito único de adorar Aquele que fora revelado como o Rei dos Judeus, o Salvador do mundo. Eles “prostrando-se, o adoraram; e abrindo os seus tesouros, ofertaram-lhe dádivas: ouro, incenso e mirra” (Mt. 2.11). Ainda que o contexto fosse desconcertante, um rei nascido em uma estrebaria, eles não hesitaram em se prostrar, adorar e oferecer dádivas a Jesus. Esses presentes têm especial representatividade: ouro, mostra que Ele é Rei e Senhor; incenso, Deus a quem tributamos louvor; e mirra, o Salvador que se sacrificaria pelo pecado da humanidade.

        Tal como fizeram aqueles magos, devemos reconhecer Jesus como o verdadeiro sentido do Natal. Em meio à correria, às compras e trocas de presentes e das ruas repletas de brilho, não esqueçamos do anúncio da estrela que apontava para Aquele que é a razão de ser dessa celebração. Guiados pela Bíblia, a Palavra de Deus, em espírito e verdade, devemos nos prostrar diante dEle, oferecendo o que há de melhor, nossas próprias vidas, em adoração por Seu amor infindo, pela graça maravilhosa de ter se esvaziado da Sua glória (Fp 2.6-8), tomado a forma humana, a fim de que, por meio do Seu Sacrifício vicário na cruz, fôssemos reconciliados com Deus. A Jesus Cristo, o verdadeiro sentido do Natal, seja honra e glória eternamente.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

LEITURA DA BÍUBLIA - ÊXODO - CAP.14- 1-31


 
 Deus anuncia a ruína dos egípcios
2 Fala aos filhos de Israel que voltem, e que se acampem diante de Pi-Hairote, entre Migdol e o mar, diante de Baal-Zefom; em frente dele assentareis o campo junto ao mar.
3 Então Faraó dirá dos filhos de Israel: Estão embaraçados na terra, o deserto os encerrou.
4 E eu endurecerei o coração de Faraó, para que os persiga, e serei glorificado em Faraó e em todo o seu exército, e saberão os egípcios que eu sou o Senhor. E eles fizeram assim.
5 Sendo, pois, anunciado ao rei do Egito que o povo fugia, mudou-se o coração de Faraó e dos seus servos contra o povo, e disseram: Por que fizemos isso, havendo deixado ir a Israel, para que não nos sirva?
6 E aprontou o seu carro, e tomou consigo o seu povo;
7 E tomou seiscentos carros escolhidos, e todos os carros do Egito, e os capitães sobre eles todos.
8 Porque o Senhor endureceu o coração de Faraó, rei do Egito, para que perseguisse aos filhos de Israel; porém os filhos de Israel saíram com alta mão.
9 E os egípcios perseguiram-nos, todos os cavalos e carros de Faraó, e os seus cavaleiros e o seu exército, e alcançaram-nos acampados junto ao mar, perto de Pi-Hairote, diante de Baal-Zefom.
10 E aproximando Faraó, os filhos de Israel levantaram seus olhos, e eis que os egípcios vinham atrás deles, e temeram muito; então os filhos de Israel clamaram ao Senhor.
11 E disseram a Moisés: Não havia sepulcros no Egito, para nos tirar de lá, para que morramos neste deserto? Por que nos fizeste isto, fazendo-nos sair do Egito?
12 Não é esta a palavra que te falamos no Egito, dizendo: Deixa-nos, que sirvamos aos egípcios? Pois que melhor nos fora servir aos egípcios, do que morrermos no deserto.
13 Moisés, porém, disse ao povo: Não temais; estai quietos, e vede o livramento do Senhor, que hoje vos fará; porque aos egípcios, que hoje vistes, nunca mais os tornareis a ver.
14 O Senhor pelejará por vós, e vós vos calareis.
A passagem pelo mar

 
15 Então disse o Senhor a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem.
16 E tu, levanta a tua vara, e estende a tua mão sobre o mar, e fende-o, para que os filhos de Israel passem pelo meio do mar em seco.
17 E eis que endurecerei o coração dos egípcios, e estes entrarão atrás deles; e eu serei glorificado em Faraó e em todo o seu exército, nos seus carros e nos seus cavaleiros,
18 E os egípcios saberão que eu sou o Senhor, quando for glorificado em Faraó, nos seus carros e nos seus cavaleiros.
19 E o anjo de Deus, que ia diante do exército de Israel, se retirou, e ia atrás deles; também a coluna de nuvem se retirou de diante deles, e se pôs atrás deles.
20 E ia entre o campo dos egípcios e o campo de Israel; e a nuvem era trevas para aqueles, e para estes clareava a noite; de maneira que em toda a noite não se aproximou um do outro.
21 Então Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o Senhor fez retirar o mar por um forte vento oriental toda aquela noite; e o mar tornou-se em seco, e as águas foram partidas.
22 E os filhos de Israel entraram pelo meio do mar em seco; e as águas foram-lhes como muro à sua direita e à sua esquerda.
23 E os egípcios os seguiram, e entraram atrás deles todos os cavalos de Faraó, os seus carros e os seus cavaleiros, até ao meio do mar.
24 E aconteceu que, na vigília daquela manhã, o Senhor, na coluna do fogo e da nuvem, viu o campo dos egípcios; e alvoroçou o campo dos egípcios.
25 E tirou-lhes as rodas dos seus carros, e dificultosamente os governavam. Então disseram os egípcios: Fujamos da face de Israel, porque o Senhor por eles peleja contra os egípcios.
26 E disse o Senhor a Moisés: Estende a tua mão sobre o mar, para que as águas tornem sobre os egípcios, sobre os seus carros e sobre os seus cavaleiros.
Os egípcios perecem no mar
 
27 Então Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o mar retornou a sua força ao amanhecer, e os egípcios, ao fugirem, foram de encontro a ele, e o Senhor derrubou os egípcios no meio do mar,
28 Porque as águas, tornando, cobriram os carros e os cavaleiros de todo o exército de Faraó, que os haviam seguido no mar; nenhum deles ficou.
29 Mas os filhos de Israel foram pelo meio do mar seco; e as águas foram-lhes como muro à sua mão direita e à sua esquerda.
30 Assim o Senhor salvou Israel naquele dia da mão dos egípcios; e Israel viu os egípcios mortos na praia do mar.
31 E viu Israel a grande mão que o Senhor mostrara aos egípcios; e temeu o povo ao Senhor, e creu no Senhor e em Moisés, seu servo.

1 Então falou o Senhor a Moisés, dizendo: