sexta-feira, 21 de maio de 2010

UMA POBRE MULHER

Uma mulher desfigurada,
Há muito desenganada,
Quase não se põe de pé.
Gastou tudo que tinha
Mas os remédios não lhe serviam,
Restava-lhe unicamente a fé.
Dia a dia ansiava até que
Jesus de Nazaré em sua cidade chegou.
Apesar de sua fraqueza,
Enfrentou a multidão.
Mas tanta gente o cercava,
Uns aos outros empurravam,
Como conseguiria então
Tê-lo a alcance de sua mão?
Aflita prossegue a pobre mulher:
Se levemente tocasse a orla de suas vestes,
O fluxo de sangue com certeza cessaria.
Com bom ânimo perseverou
E quando tão somente o tocou,
Imediatamente sarou.
Contendo a alegria, em silêncio permanece,
Mas de emoção estremece
Quando o mestre severamente indagou:
– Quem me tocou?


Fonte: Margarete Solange Moraes. Inventor de Poesia: Versos Líricos. Mossoró, RN, Queima Bucha, 2010.

2 comentários:

nadijane disse...

Muito lindo esse verso lírico,foi como um empurrão dado na minha vida hj.Deus é muito lindo,deu esse dom a Marg p/ ela poder de alguma forma ensinar as pessoas q/ só Jesus é nossa esperança de coisas certas como a cura e a salvação.
Se esse livro foi publicado quero comprar um,quando Rafa estiver com tempo ela me leva na escola.Parabéns mais uma vez Margareret e o blog Penso e Falo

Margarete Solange Moraes disse...

O livro já está pronto Nad, só falta ser distribuído nas livrarias. Depois Rafa vai com ele a sua escola. Obrigada pelas suas boas palavras. Beijos