domingo, 20 de junho de 2010

Lembra-te de Mim


Lembra-te de mim.
Oh, Deus, sei que das alturas me contemplas.
Dá-me tua benção a cada amanhecer.
Minha alegria de viver vem de Ti.
Para onde irei
Se me fechares os portões de tua graça?
São tantos os meus anseios.
Das alturas me contemplas, bem sei,
Sondas-me, sabes quem sou...
Erro até mesmo quando tenciono acertar...
Tu és aquele em quem posso confiar.
Em Ti eu creio,
Mas desconfio sempre dos mortais.
És o meu tudo, meu refúgio na adversidade.
Abençoaste-me com a capacidade de criar,
Herança que quero honrar
Até o fim dos meus dias.
Faz-me vencer os gigantes
Que se põem diante de mim em batalha.
Não me deixes só.
Ainda que eu seja indigna de teu cuidar,
Não retira de mim a Tua unção.
Ergue-me dos abismos que atraem a minha alma.
Lembra-te do teu bichinho,
Deus de Jacó,
Lembra-te de mim.


Fonte: Margarete Solange Moraes. Inventor de Poesia: Versos Líricos. Mossoró, RN, Queima Bucha, 2010.

2 comentários:

nadijane disse...

Amém.Como é bom ter com quem contar,ter a quem recorrer.Oro a ti Senhor: ...Ainda que eu seja indigna de teu cuidar,
Não retira de mim a Tua unção.(MSM)
Belíssima poesia,do 1º verso ao último é comovente.
Parabéns Margarete,Deus tem te alimentado espiritualmente com muito amor.O resultado está nos teus trabalhos.

Margarete Solange Moraes disse...

Tenho orado por você conforme prometi. E folgo em saber que Deus tem cuidado de você. Ele “é nosso refúgio e fortaleza, socorro presente na angústia”.