sábado, 19 de junho de 2010

Murmuração

Senhor, diz-me o que é o meu sofrer
Comparado com a dor
Daqueles que realmente sofrem.
Maldigo o calor e o frio que
Não podem me matar,
Enquanto os meus semelhantes morrem
Famintos e desabrigados.
Tantos cobertores posso ter,
Para escolher o mais bonito ou o melhor.
A comida desperdiço
Se não me agrada o sabor.
A vida não é suficientemente boa
Porque quero sempre mais.
E quanto mais conquisto,
Acho pouco o que ficou para trás.
E o que não alcanço com meus braços,
Maldigo como fracasso,
Porque não admito perder.
Quero tudo, quero muito,
Espero sempre um sim,
Como resposta a minhas petições.
E assim murmuro mais que agradeço,
Reconheço, mas não é fácil mudar.

Fonte: Margarete Solange Moraes. Inventor de Poesia: Versos Líricos. Mossoró, RN, Queima Bucha, 2010.

2 comentários:

nadijane disse...

Muitas vezes sou assim,daí caio na real e peço perdão ao senhor e oro para os que estão na miséria total,como muitos que não tem nem como se alimentar da palavra de Deus.
lindíssima poesia,é um alerta pra todo mundo principalmente para o crente.
beijos maravilhosa.

Margarete Solange Moraes disse...

Obrigada, Nadjane. O Senhor te abençoe e te guarde sempre! Beijão pra você.